Para todas as miúdas que não têm pai

Miúdas que não tem pai

 

Uma das maiores feridas afetivas que podemos sofrer é precisamente esta: ausência de uma figura paternal.

Seja por causa de um divórcio, seja porque nunca conheceste o teu pai, esta é uma realidade que cada vez mais afecta a nossa sociedade e os nossos filhos, o futuro Portugal. Em todos os corações femininos existe a necessidade de um carinho especial, que apenas a figura masculina pode dar. As meninas, na sua inocência e necessidade de serem aceites, geralmente perguntam aos pais “Gostas de mim?”, “Vês-me? “Sou bonita?”…quando estas questões são respondidas por um pai que ama, que beija, acarinha e que assegura a confiança da filha, então tudo está bem. O problema é precisamente quando não existe um pai que assegure esta necessidade tão natural e querida. Então corremos o risco da filha, assim que possa, correr para as mãos do primeiro rapaz que a ache atraente e lhe diga uma ou duas palavras mais carinhosas.

Muitas crianças não encontram forma de lidar com esta ausência. É quando crescem que geralmente procuram conhecer esses aspetos da afetividade. Quando um pai não dá à filha a atenção que ela merece, a necessidade dela procurar uma figura masculina que a aceite é enorme. Muitas vezes existem casos, em que as mulheres dão por si com uma total falta de aceitação consigo próprias. Tantas vezes lidam tão mal com este assunto, que depressa surgem problemas como depressões, desordens alimentares e até comportamentos promíscuos, que só significam uma coisa: “Estou aqui”. Muitas destas miúdas sem pai, agora mulheres, cresceram sem uma figura masculina que as amasse realmente pelo que elas são enquanto mulheres. Encontram muitas vezes esse conforto na ilusão de relações que têm tudo menos amor, que apenas prejudicam e aumentam muito o “apetite” por verdadeiras respostas que satisfaçam o coração. Na escola ou na faculdade muitas vezes querem chamar a atenção, mas quanto mais o fazem, mais sozinhas e vazias se sentem, porque não é o coração que estão a preencher, mas o ego. Este é muitas vezes um comportamento que assume a dinâmica de uma bola de neve, que magoa, destrói e não traz nada de bom, pois não responde ao apelo por um pai, por uma figura que as acarinhe sem motivo aparente, que não peça nada em troca.

Se é verdade que isto é uma realidade, também é verdade que há uma solução. É esta: tu tens um Pai.
Não é um pai como muitas das tuas amigas têm. Este Pai não podes ver, mas podes sentir, este Pai não podes tocar, mas podes falar-Lhe, com a certeza de que Ele não é um estranho para ti. Desde o primeiro momento da tua vida, na barriga da tua mãe que Ele pensa em ti, que Ele sussurra o quão importante e única tu és. É um Pai que não conhece o medo, que não magoa. Dele apenas recebes, amor, misericórdia, compaixão e compreensão. Ao mesmo tempo que te deu vida, vive também para ti, porque é na beleza da tua vida que Ele encontra felicidade. Deus é Pai, sempre te conheceu e sentiu as tuas cicatrizes e mágoas afetivas. É altura de Lhe responderes, de seres tu a querer conhecê-lo melhor. É altura de lhe contares tudo, de chorares com Ele, de te animares com Ele e de viveres sabendo que Ele não te deixará nunca.

Para conheceres melhor este teu Pai, tens apenas de fazer uma coisa: Frequentar os Sacramentos, abrir o teu coração ao amor verdadeiro. Aproxima-te de uma vida de oração e de fé. Não tens de ser freira (!) e muito menos passar o dia a rezar, tens apenas de deixar que Ele possa estar sempre contigo. Por exemplo, se não costumas rezar, então bastam-te 5 minutos por dia para te ires habituando. Se costumas rezar experimenta passar 15 minutos por dia com Ele. Mais ainda, se não costumas ir à missa ao domingo, então olha, vai no próximo domingo. Se já vais ao domingo, então escolhe outro dia da semana e vai também, isto serve apenas para passares mais tempo com ele, para se conhecerem, afinal é isso que pais e filhos fazem certo? Vivem em família! Dá pequenos passos para fortalecer a relação que agora descobriste ter com o teu Pai. Ele está sempre disponível para ti, em silêncio, quando quiseres. Ele ama-te, e és extremamente valiosa para Ele. Aos seus olhos és linda, desejada e amada.
Depressa verás, à medida que te deixares conhecer a ti própria nesta relação com Deus, que Ele não te rejeita mesmo quando falhas, que Ele não te pede para mudares a tua personalidade, que Ele não te quer usar ou manipular. Faças o que fizeres, mesmo quando pensas ter feito o pior mal ou pecado do mundo, Ele ama-te e deseja estar contigo.

Se desejas encontrar um homem que te ame, no futuro e te trate como mereces, então não te esqueças de procurar nele as mesmas qualidades que encontras neste teu Pai, que está no céu. Um bom homem quererá proteger-te, honrar-te e esperar por ti. Não te pedirá nenhum sacrifício, nem o teu corpo para seu próprio benefício. Num homem à semelhança do teu Pai, procura sim a paciência, procura o compromisso e amizade, alguém que te valorize como a pessoa que és e não como a que podes vir a ser, alguém que não te instrumentalize, mas que te ajude a desenvolver belas e novas formas de ver o mundo. Que todos os homens na tua vida possam ser como o teu Pai, que é também meu. Sim, em certa medida somos irmãos e podes contar comigo e com toda a Igreja para o que precisares, nós estamos aqui.

Para terminar, não procures o amor de pai em qualquer lado, procura-o no Pai.

No Comments

Post A Comment